Argamassa de arroz: você usaria?

O arroz é a base da alimentação chinesa – o que não se sabia era seu importante papel na resistência e longevidade de construções históricas: cidades, muros, pontes, antiquíssimos e construídos com base no arroz. O resultado? Uma super argamassa, capaz de resistir mesmo a terremotos. Agora, cientistas isolaram o responsável por essa incrível característica.

 

O professor Bingjian Zhang, pHD, com sua equipe de colaboradores, presume que os trabalhadores chineses desenvolveram a argamassa de arroz há cerca de 1500 anos, misturando a papa de arroz tradicional com a argamassa então utilizada (constituída de cal hidratada, ou calcário que passara pelo processo de calcinação). Uma inovação na época, esta argamassa composta mostrou-se mais resistente.

A argamassa de arroz foi utilizada para construir edificações importantes como mausoleus, pagodes e muros citadinos, alguns existentes ainda hoje. Alguns foram resistentes o suficiente para suportar vibrações de terremotos e peso de máquinas pesadas como tratores. O segredo desta força lendária, revelado pelos pesquisadores? Um polissacarídeo nada incomum: a amilopectina.

A molécula da amilopectina combina-se com o carbonato de cálcio, proporcionando à argamassa mais estabilidade, resistência mecânica – e, após testes com várias composições de argamassa, as pesquisas revelaram ser a variedade de arroz a mais indicada para o restauro de edificações patrimoniais – o que provavelmente significa, também, ser ela indicada para dar mais durabilidade a construções novas.

“O crescimento do cristal de carbonato de cálcio é controlado [pela amilopectina] e uma microestrutura compacta é formada, o que deve ser a explicação da boa performance desse tipo de argamassa composta”, afirma Zhang.

fontes: physorg, inhabitat.

Siga-me no twitter! @arquitetogeek

Anúncios

Sobre arquitetoGEEK
Só um cara inquieto por novas tecnologias e pesquisas relacionadas a arquitetura e engenharia.

9 Responses to Argamassa de arroz: você usaria?

  1. Alex C. says:

    Muito interessante.
    Como é inteligente este povo. =)

  2. Rafa says:

    Meu avô colava cartas com arroz.
    Com certeza é um aditivo eficaz.

  3. julianocs says:

    muito bom , tenha que ser mais divulgado, seria um ganho muito grande para a indústria civil mundial

  4. arquitetogeek says:

    Pois é, pessoal… os avanços científicos, esperamos, são também portas para avanços sociais – e humanos. É torcer pelo melhor e acompanhar as pesquisas e descobertas!

  5. Vanda says:

    Lembro-me de quando era criança, uma vez faltou cola para colar um trabalho de escola e minha mãe fez uma liga com trigo e água. E não é que deu certo??
    Tem muita coisa que poderíamos fazer… Basta usar um pouco os neurônios =)

  6. arquitetogeek says:

    O bom e velho grude… e é legal ter uma pitada de nostalgia nessas ideias “novas” que aparecem, não, Vanda? Abraço!

  7. lauro toledo dos santos says:

    Essa propriedade fisico quimica do oryza sativa , já conhecida e utilisada por outros povos vem demonstrar a importância economica não só do ponto de vista alimentar como na construção civil…Oxalá esse valor economico transforme-se em resultado para quem cultiva essa graminea…

  8. Definitely some great ideas here. Thanks for sharing!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s